Home / Notícias / Grupo DOSE CERTA participa da novela Sangue Bom, da Rede Globo

Grupo DOSE CERTA participa da novela Sangue Bom, da Rede Globo

“No Compasso do Samba”, um dos temas da novela que ganhou versão especial será tocada ao vivo na presença de parte do elenco. No disco Pra Sempre Samba, distribuído pela Universal Music, a música conta com a participação de Ivan Lins

Conhecido por seu estilo original de tocar o samba – sem perder a identidade, a credibilidade e o respeito ao ritmo -, o grupo Dose Certa fará parte, hoje, dia 10, a partir das 19h, da novela Sangue Bom, da Tv Globo. A gravação da cena aconteceu na última segunda-feira, na Restinga de Marambaia, no Rio de Janeiro, e contou com a presença de parte do elenco, como Marisa Orth e Ellen Roche.
Formado por seis jovens sambistas – Alemão do Cavaco (arranjos e cavaquinho), Vitor da Candelária (percussão), J. Petróleo (voz e banjo), Fabio Luis (voz e repique), Vinicius Almeida (contrabaixo e violão) e Zé Paulo Sierra (voz), o Dose Certa já recebeu diversos prêmios importantes do Carnaval Brasileiro e tem se apresentado em casas de renome, como o Bar Brahma da AV. São João, e o Bar Samba, o reduto do gênero na Vila Madalena, ambos em São Paulo.

Com uma linguagem mais contemporânea, o grupo faz de sua música mais autêntica e até inconfundível, tornando seu trabalho reconhecido por grandes mestres do samba, como Beth Carvalho, Monarco, Almir Guineto e Moacyr Luz, entre outros, além de importantes jornalistas do cenário carnavalesco, como Chico Pinheiro e Abel Neto, da Rede Globo.

“No Compasso do Samba”, de Sereno e Moacyr Luz, sempre foi uma grande aposta do grupo, que no CD “Pra Sempre Samba” – gravado ao vivo no Teatro Fecap, em São Paulo, e distribuído pela Universal Music -, contou com a participação de Ivan Lins. O grupo foi procurado pela direção da novela pouco antes de ser pré-selecionado para o Prêmio da Música Brasileira. Infelizmente, não foi desta vez que levou o Prêmio, mas já foi um grande começo para um grupo que, apesar dos mais de dez anos de estrada, está apenas começando a ser conhecido pela grande massa. Para a novela, a música “No Compasso do Samba” ganhou uma nova versão na voz de um de Fabio Luis e sem a participação de Ivan Lins.

Pra Sempre Samba é o segundo CD do grupo Dose Certa e traz participações especiais de grandes nomes da MPB, como Ivan Lins, Verônica Ferriani, Leci Brandão, Ana Costa, Pedro Miranda e Wanderley Monteiro, entre outros. O lançamento aconteceu em novembro de 2012, em duas sessões com lotação esgotada no Itaú Cultural, em São Paulo; e no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, com as participações especiais de Moacyr Luz e Ana Costa.

Veja capítulo: Gládis incentiva Lucindo a ficar com Brunettý

Grupo DOSE CERTA/Divulgação

O primeiro CD, Brasileiro Guerreiro, lançado pela Obi Music, está esgotado.

O Grupo/ Nova Formação – O Grupo DOSE CERTA, desde a sua formação – em meados de 1990 -, faz questão de imprimir no samba tradicional a sua própria assinatura musical. Com uma linguagem mais contemporânea, o grupo faz de sua música mais autêntica e até inconfundível, tornando seu trabalho reconhecido por grandes mestres do samba, como Beth Carvalho, Monarco, Almir Guineto e Moacyr Luz, entre outros, além de importantes jornalistas do cenário carnavalesco, como Chico Pinheiro e Abel Neto, da Rede Globo.

Essa inovação – sem perder a identidade, a credibilidade e o respeito ao ritmo -, fez com que o DOSE CERTA ganhasse destaque no showbizz brasileiro e rendeu ao grupo o convite para entrar na trilha musical da novela “Sangue Bom”, das 19h, na Rede Globo, com a música “No Compasso do Samba”, de Sereno e Moacyr Luz. “No Compasso do Samba”, gravada com a participação de Ivan Lins, ao vivo, no último disco do grupo “Pra Sempre Samba”, ganhou então uma nova roupagem no início de 2013, quando o DOSE CERTA passou por uma reformulação trocando um de seus vocalistas.

A voz de tom mais grave que o soar de um trovão, de J. Petróleo, bacharel em música popular e um dos finalistas do São Paulo Exposamba 2013, ganhou o reforço de Fabio Luis, nome conhecido no cenário paulistano. Fabio canta há cerca de vinte anos e já dividiu o palco com Arlindo Cruz, Sombrinha, Monarco, Almir Guineto e Jair Rodrigues, entre outros.

A cozinha – simples para quem apenas vê e excepcional para quem ouve –, é conduzida pelo percussionista Vitor da Candelária, nascido e criado no Morro da Mangueira, que alia personalidade e ginga ao seu batuque. Além de trazer em seu currículo trabalhos ao lado de Doces Bárbaros (Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e Maria Bethânia), Jorge Benjor, Zeca Baleiro, Jacques Morelembaum, Nei Lopes, Fabiana Cozza e Maria Rita, entre outros, e colecionar prêmios como o Estandarte de Ouro, o Tamborim de Ouro e Troféu “Plumas & Paetês”, Vitor tem seu nome no Guinness Book desde 2011, à frente da maior bateria de escola de samba do mundo – recorde batido durante apresentação na Virada Cultural de São Paulo, idealizado por Leandro Lehart.

Nas cordas, mais precisamente no cavaquinho, Alemão Do Cavaco é quem dita as regras, músico que em 2012 assumiu as funções de Diretor de Harmonia e Diretor Musical da Estação Primeira de Mangueira, levando pelo segundo ano consecutivo o prêmio Estandarte de Ouro. Já acompanhou Alcione, Bezerra da Silva, Leci Brandão, Jair Rodrigues e Monarco, entre outros. Teve oito sambas-enredo emplacados na Escola de Samba Gaviões da Fiel, sendo três campeões: “O Príncipe Encoberto ou a Busca de D João na Ilha de S. Luis do Maranhão”, de 1999, “Xeque Mate”, de 2002 (ano em que foi vencedor também no Grupo de Acesso com a Primeira da Aclimação, “Um Canário que Deixou Saudade), e “Renasce, Sacode a Poeira e dá a Volta por Cima”, de 2005. Em 2011, Alemão assinou o samba da X-9 Paulistana – “Da Eterna Criança à Embaixador da Esperança” -, que teve nota máxima, e o samba da Estação Primeira de Mangueira – “O filho fiel, sempre Mangueira” -, que recebeu nota máxima e todos os prêmios mais requisitados no carnaval carioca.

Ao lado de Alemão, o violonista e arranjador Vinicius Almeida continua dando o tom da harmonia com toda a sua influência do jazz e do samba da mais alta linhagem, como Bezerra da Silva, Agepê, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Chico Buarque, Gilberto Gil e Tom Jobim. Vinícius tocou com Leci Brandão e Neguinho da Beija-Flor, entre outros, e foi o primeiro músico a tocar baixo na avenida do samba pela Escola de Samba Unidos do Peruche, em 1996.

Veja: http://youtu.be/jiiFdKw9v1Y

Agenda:
Dia 25/10, 23h, Bom Sujeito (Estrada da Barra da Tijuca, 18 Sobrado, Barra da Tijuca, tel 21 2491-8955), RJ
Dia 01/11, 22h30, Traço de União (Rua Claudio Soares, 73, Pinheiros, tel 11 3031-8065), SP
Dia 19/11, 22h30, Traço de União (Rua Claudio Soares, 73, Pinheiros, tel 11 3031-8065), SP
Sextas, 23h, Bar Brahma Centro, (Av. São João, 677 – esquina com a Av. Ipiranga, tel 11 3367-3600), SP
Sábados, 14h, Bar Samba, (Rua Fidalga, 308, Vila Madalena, tel 11 3819-4619), SP

Voltar ao Topo